Avenida Duque de Loulé Nº 22 - 2º Andar 1050-090 Lisboa
+351 213 161 497
+351 214 094 745

6 Etapas a Ponderar na Constituição de Uma Empresa

O caminho desde a ideia empreendedora até à aplicação da mesma no contexto de uma empresa poderá parecer difícil, no entanto, se conseguir um bom guia que o ajude a avançar com um plano complexo e aplicado ao seu caso, verá que criar uma empresa poderá tornar-se mais simples através de pontos-chave que indiquem o caminho passo a passo para abrir uma empresa. É este o maior objetivo deste artigo: ajudá-lo a abrir uma empresa com uma taxa elevada de organização e orientação para o sucesso. Deste modo poderá ter a certeza de como criar uma empresa, desde a ideia, passando pela planificação e burocracias até à conclusão da abertura da firma.

A ideia

Todas as empresas de sucesso nasceram de uma ideia que o criador ou potenciais sócios desenvolveram. De modo a que tenha plena consciência do potencial da sua ideia, é importante que pesquise e faça estudos de mercado. Deverá certificar-se da viabilidade da ideia para chegar ao ponto de criação de empresa no ramo no qual a sua ideia encaixa.

O plano

Existem diversas variantes a ter em conta. Antes de avançar e abrir firma deverá ter em conta tudo o que precisará para que o caminho seja viável e passível de atingir sucesso a médio ou longo prazo. Não espere o sucesso instantâneo da sua empresa, pois isto raramente acontece. Planifique todos os passos desde a fase da descoberta da ideia, passando pela pesquisa de como montar uma empresa até ao plano de negócio para que não caia em caminhos que o afastarão do triunfo da sua ideia.

Fique a saber o que é preciso para abrir uma empresa, passo a passo.

5

1 – A sua identificação no serviço de Finanças

Se o empreendedor estiver a trabalhar já por conta de outrem mas pretende abrir o seu próprio negócio poderá optar por se registar como Trabalhador Independente no Serviço de Finanças através da abertura de atividade, ou seja, funcionando através dos antigos recibos verdes, agora com o título de fatura-recibo, que são obtidos através do Portal das Finanças. No que diz respeito ao trabalhador independente, este deverá informar-se devidamente no que diz respeito ao seu estatuto, incluindo informar-se sobre os pagamentos à Segurança Social quando esta actividade significará a sua actividade principal. O regime de IVA é também algo a ser estudado, pois poderá estar isento ou não de acordo com o seu CAE – código de actividades económicas – e deverá ter um seguro de trabalho. Informe-se junto das Finanças ou procure-nos para que esteja inteirado sobre todas estas questões e quaisquer outras questões também relevantes que possa ter.

2 – Empresário em Nome Individual

Caso na sua situação se aplique a criação de uma empresa em nome individual, ou seja, se o seu novo projeto está a ser construído para ser a sua atividade principal, deverá também informar-se devidamente junto do Serviço de Finanças e, claro, do seu contabilista de confiança. Existem alguns tópicos a ter em conta:

  • Regime Simplificado
    No regime simplificado poderá abdicar de ter um Contabilista Certificado (anteriormente denominado Técnico Oficial de Contas) e de ter que as fazer. Partir-se-á do facto de que há lucro tributável. Não terá que guardar faturas para deduzir no seu IRS, uma vez que 30% do lucro será automaticamente tomado como despesas, sendo que a administração fiscal cobrará impostos sobre os remanescentes 70%.
  • Regime de Contabilidade Organizada
    É aqui que entramos em trabalho conjunto consigo. No Regime de Contabilidade Organizada, a maior parte das suas despesas será contabilizada e abate-se aos rendimentos. Um dos pontos a favor é o pagamento de menos impostos, dependendo do volume de negócio. Há que ter em conta a obrigatoriedade deste regime para casos em que o volume de rendimentos do ano fiscal anterior for igual ou superior a 150.000 euros e este regime é compensatório em casos em que as despesas passíveis a serem abatidas significarem 30 % dos rendimentos.

3 – As diferenças entre Empresário em Nome Individual (ENI) e Sociedade Unipessoal

Na segunda das hipóteses é de destacar que terá personalidade jurídica e fiscal distinta dos seus sócios, sendo que isso não acontece quando é Empresário em Nome Individual. Neste caso, o seu afeto à sociedade, bem como o seu património individual não são separados, ou seja, a responsabilidade total pelas dívidas aos olhos dos seus credores, não havendo separação entre património da empresa e património pessoal. No que diz respeito à sociedade unipessoal por quotas, o regime guiar-se-á limitadamente ao montante de capital social.

4 – Investigação profunda sobre o tipo de empresa

No caso de não estar devidamente informado ou tiver dúvidas sobre qual a natureza na qual a sua empresa se encontra, poderá informar-se junto do Balcão do Empreendedor sobre a área de negócio em questão e todas as informações necessárias para a criação da empresa e como registar uma empresa e todas as informações sobre o início da atividade. No Portal da Empresa encontrará as informações de que necessita, no entanto, poderá informar-se também pessoalmente para que não restem quaisquer dúvidas.

4

5 – Estatuto de pagamentos

Há que clarificar o estatuto de pagamento entre o pagamento especial por conta e o pagamento por conta. O pagamento especial por conta realiza-se através de três entregas anuais e é calculado de acordo com o volume de negócios do ano anterior. Nos primeiros dois anos poderá beneficiar de isenção, no entanto, há a realçar que esta isenção se aplica a anos completos, pelo que o ideal será abrir atividade no início do ano para que não desperdice meses de isenção. No que diz respeito ao pagamento por conta a chave está no apuramento de IRC e no lucro existente no ano anterior, mas são aplicados de acordo com os pagamentos do ano em vigor. Serão três as prestações no ano aplicável ao lucro tributável em questão. Deverá informar-se devidamente sobre as taxas de IRC e IVA aplicáveis, bem como a derrama municipal.

6 – Ponto-chave: Conversa com o seu contabilista

Não se baseie apenas em pesquisas pessoais e visitas a portais ou repartições. Não há melhor método de esclarecimento de todas as dúvidas e obtenção de todas as informações sobre o que precisa para abrir uma empresa, regista-la e todas as questões aplicáveis, mesmo que não pretenda contabilidade organizada desde o início. Procure-nos e verá que todos os passos serão indubitavelmente menos complicados para si. Um bom acompanhamento é indispensável para o sucesso.

2 - constituição de uma empresa

Para que consiga criar e abrir uma empresa é fundamental o esclarecimento sobre deveres e obrigações aplicáveis ao seu caso. Este guia funciona apenas como uma base, como um incentivo à procura de ajuda profissional competente que possa acompanhar todos os passos da criação da sua empresa, explicando o que é necessário e tirando quaisquer dúvidas que poderá ter. Comece pela ideia e faça um plano, acompanhado, para que nada fique para trás e possa criar uma empresa de sucesso.

Deixe uma resposta